Consumo




Docerias finas caem no gosto do rio-pretense ao conquistarem primeiro o olhar, depois o paladar


Quem nunca ficou com vontade de comer algo porque, oras, simplesmente estava lindo de ver? Essa arte de encantar (e adoçar) o estômago pelos olhos tem conquistado o rio-pretense e despertado o interesse para um novo negócio: o das docerias finas, que vêm se expandindo e se espalhando pela cidade. Mestres da pâtisserie, os empresários Patrícia Claudino, Lucilene D’Paula e Gino Lancarter fazem parte dessa lista de profissionais da cidade que vêm se especializando em cativar primeiro o olhar, depois o paladar. Da elegância da glaçagem à exuberância da decoração, até a delicadeza dos insumos caipiras, a finesse dos doces encontra morada nos detalhes. Localizada na região sul de Rio Preto, a Brie Delicatessen é uma das mais conhecidas no ramo confeitaria fina da cidade.

Docerias finas caem no gosto do rio-pretense ao conquistarem primeiro o olhar, depois o paladar Os doces feitos artesanalmente saltam aos olhos de quem vê. São formas, cores, texturas e sabores diferentes que encantam além da vitrine. “Muitos ainda não conheciam ou não tinham familiaridade com doces como entremets, éclair, choux, pralinê, sablé.... A Brie trouxe isso. Nossos clientes ficam fissurados nas vitrines e alguns têm até ‘dó’ de comer”, brinca a empresária Patrícia Claudino.

Com conceito inédito e ambiente aconchegante, a Brie combina empório com confeitaria francesa, padaria e rotisseria. “Adoramos esse modelo de empreendimento. O local é perfeito para quem quer tomar um café com amigos, realizar uma reunião de negócios, ter um almoço mais íntimo ou apenas ter um momento de lazer. Servimos desde bolos simples, como bolo de fubá, até sobremesas mais sofisticadas”, diz. O negócio prosperou a partir da percepção de que não havia na zona sul empreendimentos que unissem padaria e restaurante, um ambiente onde os moradores pudessem ter desde o mais simples, como pães, até algo mais sofisticado, como a confeitaria francesa. “As pessoas saíam para buscar pão em conveniência. Vimos a oportunidade de conquistar esse público.”


Filho de chef de cozinha, Gino Lancarter, da Casa Brauni, cresceu em meio a cozinhas de restaurantes

Da simplicidade ao luxo
Já imaginou um local onde é possível encontrar uma variedade de brownies, tomar um café especial do sul de Minas, com leite direto da vaca tratada no sítio e ovos caipiras mexidos? Tudo isso é possível encontrar na Casa Brauní, do chef de cozinha Gino Lancarter. Formado pelo Le Grand Chef e com bagagem no atendimento ao público classe A, Gino viu o amor pela confeitaria e gastronomia desabrochar para os doces finos.

Filho de chef de cozinha, cresceu em meio a cozinhas de restaurantes. Veio do Ceará para Rio Preto e hoje tem o próprio empreendimento na cidade. “Antes de me dedicar 100% à gastronomia, fazia brownies para vender. Vendia para amigos e clientes das lojas de shopping que gerenciava. Encontrei a oportunidade de empreender e adiantei meu sonho de abrir meu próprio negócio. Hoje trabalho com mais de 15 tipos de brownies e suas diversas derivações, como sorvete de brownie, torta de brownie, entre outros”, conta.

Mas nem só de brownie vive a Casa Brauní. Quem vai até o local encontra tapiocas, iogurtes naturais, pão de queijo feito com ovos de galinha caipira e queijo meia cura, cafés diferenciados, além de itens presenteáveis como bolos nos potes de vidro, caixas de ‘bites’, brownietone no pote, e outros. A maioria dos insumos vem de um sítio localizado em Potirendaba, o que torna o sabor dos alimentos ainda mais especial. Para o chef, o luxo mora na simplicidade. “Nós temos um sítio onde os animais são tratados com todo amor e respeito. O leite é extraído junto aos bezerros, os ovos são coletados de galinhas que vivem livres de gaiolas, nossa mandioca é colhida direto do chão, nossos temperos são todos naturais e muitos doces, como o de abóbora, preparamos no fogão à lenha.”


Lucilene sempre foi apaixonada por doces e flores, e encontrou uma forma de inovar suas apresentações unindo essas duas paixões

Buquê no bolo
Lucilene D’Paula, proprietária da Lu D’Paula Doceria, é confeiteira, mãe de 3 meninos, grávida de uma menina, dona de casa, confeiteira e empresária. Começou no ramo da confeitaria em 2013, fazendo bolos para amigos e familiares. Sempre foi apaixonada por doces e flores, e encontrou uma forma de inovar suas apresentações unindo essas duas paixões e se tornou referência em bolos de festas decorados com flores naturais. A empresária conta que desde o início a intenção era preparar doces que fossem “presenteáveis”.

“Trabalho com doces preparados em taças de cristal, na Páscoa, criamos doces em ovos de porcelana pintados à mão, bolos com flores naturais, barras de chocolate fino, palhas italianas em caixas trabalhadas, entre outros”, comenta. A doceria, localizada em uma galeria na zona leste da cidade, em menos de 1 ano mudou de um espaço de 32 m² para um de quase 100 m². “A projeção é crescer mais. Hoje tenho uma equipe de 8 pessoas, mas pretendemos contratar mais colaboradores e, assim, conquistar cada vez mais clientes.”

Fotos: Elton Rodrigues

Vem conferir um pouco mais destas delícias...




Últimas Notícias sobre Consumo

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites

Categorias

As + Lidas

  1. Super Muffato Damha será um investimento de mais de R$ 45 milhões
  2. Postos de combustíveis estão abastecendo apenas com declaração de atividade essencial ou de servidor público
  3. Comércio e serviços poderão abrir seis horas por dia de quarta a sábado apenas
  4. Rio Preto terá Festa das Nações de 16 a 18 de junho
  5. Laboratório HLab vai realizar testes particulares para a Covid-19
Ir ao Topo