Saúde




Ligada no 220


“Eu não paro, minha cabeça não para, meus sonhos não param, meus projetos não param. É o meu jeito, a minha essência. Minha alma é inquieta”. Intensidade parece mesmo ser uma das palavras que melhor definem a médica rio-pretense Mariane Spotti. 
Aos 41 anos, especializada em cardiorradiologia e originária de uma família de médicos, Mariane criou, quase que ao mesmo tempo, duas empresas especializadas em exames de imagem que se tornaram referência nas regiões onde estão localizadas: a UMA, em São José do Rio Preto, e o Centro de Imagens Santo Antonio, em Sinop, no Mato Grosso (MT).

Mas Mariane não se destaca apenas como empresária de sucesso na área de saúde. Sua veia empreendedora social também pulsa forte. A médica rio-pretense participa de movimentos direcionados a auxiliar famílias em situação de vulnerabilidade, como o projeto Favela 3D, desenvolvido pela ONG Gerando Falcões, com apoio do setor público e da iniciativa privada, além de projetos de atendimento gratuito à população, tanto pela UMA quanto pelo Instituto Unimed, da Unimed Rio Preto (Mariane faz parte da atual diretoria). 

Em meio a todos esses compromissos, a cardiorradiologista ainda encontra tempo na agenda para inspirar outras mulheres a se tornarem empreendedoras de sucesso por meio do LIDE Mulher - braço de um dos maiores grupos de líderes empresariais paulistas, do qual é presidente e cofundadora. “Sou muito intensa em tudo o que eu faço, dou muita profundidade aos meus projetos, me dedico mesmo”, afirma. 

O começo
Mariane conta que toda a inspiração em sua vida profissional vem do pai, Antonio Spotti - médico da primeira turma de Medicina da Famerp, especializado em neurocirurgia na Suécia - e da mãe, Vera, psicanalista. “Meus pais sempre foram referência em suas profissões. Com meu pai, cresci vendo a Medicina como uma carreira que oferecia várias possibilidades. Aos cinco anos e já tinha conhecido mais de 15 países, pois viajava com meu pai o mundo todo, com ele dando palestras, inovando, sendo uma inspiração”, relembra.

A trajetória do pai na Medicina não inspirou só Mariane, mas também seus dois irmãos, que também se tornaram médicos, na mesma área do pai, a neurocirurgia. Já Mariane foi estudar Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde fez residência em Cardiologia. 

Tornou-se especialista em imagem cardíaca, como exames de tomografia e ressonância cardiovasculares, na Rede D’or, no Rio de Janeiro, maior grupo integrado de cuidados em saúde no Brasil, e que se tornou recentemente empresa de capital aberto na Bolsa. No grupo D’or, Mariane permaneceu por 13 anos. “Dr. Jorge Moll Filho foi uma inspiração.”

Mulheres à frente de negócios
Tornar-se referência em sua área de atuação levou Mariane Spotti a ganhar, em 2019, o título de Mulher Empreendedora do Ano, pela Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto, a Acirp, e a ser convidada para ajudar a construir o LIDE Mulher, entidade da qual é cofundadora e atual presidente. 

“Quando o Marcos Scaldelai, que coordena o LIDE Noroeste Paulista, me convidou, quase neguei. Como eu ia encaixar mais essa atribuição na agenda? Porém, o desafio de inspirar, agregar e fortalecer empreendedoras da região por meio de uma rede de negócios e de networking, falou mais alto. Homem, quando senta para fechar negócio, senta com outro homem, não com uma mulher. Precisávamos mudar esse panorama, dar vez e voz à mulher. É preciso fomentar o empreendedorismo feminino, colocar todas essas mulheres juntas para conversar e crescer juntas”, defende Mariane. 

Atualmente, o LIDE Mulher conta com mais de 100 mulheres empresárias e empreendedoras associadas à sua rede de relacionamento e negócios.

Medicina com afeto
Em 2013, voltou para Rio Preto com o objetivo de iniciar seu próprio negócio. Trabalhou em três empresas de radiologia durante alguns anos, mas a vontade de empreender falou mais alto. “Eu sentia falta do olhar humano ao paciente, via que os serviços não se colocavam no lugar dos pacientes. Queria ver afeto, humanização, daí comecei a traçar a ideia de um grande complexo de exames de imagens. Certo dia, conversando com um amigo durante um jantar na casa dos meus pais, tiramos a ideia do papel e montamos a UMA”, revela.

Em 2015, grávida de gêmeos, Mariane iniciou quase simultaneamente dois grandes projetos - a UMA em Rio Preto e o Centro de Imagens Santo Antonio, em Sinop, no Mato Grosso. Ambos com abrangência regional e referência no segmento. 

Em Rio Preto, Mariane foi a responsável por projetar, construir e consagrar a UMA como um dos maiores complexos de radiologia do noroeste paulista, com mais de 7 mil atendimentos mensais. E com um diferencial, que qualifica a UMA como disruptiva no segmento: a união da humanização no atendimento com a excelência na prestação de serviços. O mesmo know-how foi levado para a empresa de Sinop.

“Meu objetivo era unir afeto no atendimento, empatia com aquele paciente, com um serviço diferenciado, em que cada pessoa se sentisse acolhida, bem atendida. E esse é um dos pilares da UMA, e que norteia todas as ações do grupo desde a fundação até hoje”, explica.

Fundada com outros 10 médicos associados, a UMA é hoje especializada em medicina de imagem e precursora de técnicas inéditas e pioneiras na cidade, como o conceito One Stop Shop, trazido para Rio Preto em 2018, quando o grupo decidiu reunir em um mesmo espaço exames de imagem e exames laboratoriais.

Também foi a UMA, com sua gestão visionária encabeçada por Mariane, a primeira a implantar em solo rio-pretense a técnica de ultrassom de pele, e o conceito OM-360, integração odonto-médica no diagnóstico por imagem.

Hoje, o complexo possui 20 médicos especialistas e mais de 50 colaboradores, em 1,1 mil m² de área construída. “Fundamos a UMA há seis anos. É uma empresa sólida e estabelecida no segmento de radiologia. Nossos concorrentes diretos têm mais de 40 anos de mercado. Mas temos nosso posicionamento de marca e de mercado, com grande aceitação entre os clientes. Tanto que, para comportar a demanda, agora temos funcionado de domingo a domingo”, diz.


Na medicina diagnóstica, ter olhar humano é essencial. Pois às vezes o prognóstico não é bom. E você precisa saber acolher, ter empatia. É conciliar a excelência nos serviços com o atendimento humanizado.”
Dra. Mariane Spotti

Olhar humano
O sucesso de Mariane Spotti como médica e empresária caminha ao lado da responsabilidade social. A UMA acaba de se tornar parceira de um grande projeto: o Favela 3D (Digna, Digital e Desenvolvida), ou “Favela Inteligente”, uma iniciativa da ONG Gerando Falcões, de São Paulo, com o Instituto As Valquírias, de Rio Preto (comandado pela empreendedora social Amanda Oliveira), que busca urbanizar as favelas, com capacitação profissional e melhores condições de cidadania para seus moradores.

“O LIDE apoiou o projeto na parte de iniciativa privada, por meio da ação 'Noroeste do Bem', rede de solidariedade formada por empresários e apoiadores. A UMA terá uma cota, por três anos, de auxílio a algumas das 240 famílias que moram na Vila Marte, novo nome da favela da Vila Itália. Vai ser um apoio de estruturação de vida, não simplesmente distribuir cesta básica. É um projeto incrível. Não é dar dinheiro, é oferecer oportunidades”, explica Mariane.

A partir desta primeira experiência em Rio Preto, o Favela 3D tem como objetivo se tornar um projeto pioneiro na transformação das favelas no Brasil, prevendo a reurbanização com apoio dos poderes públicos estadual e municipal, com apoio do Instituto Tellus e iniciativa privada. 

“A Prefeitura é responsável pela regularização da área e pelo fornecimento de infraestrutura. A Gerando Falcões foi quem criou o projeto e arrecada fundos para sua viabilização. E tem a iniciativa privada, que vai auxiliar também na angariação de doações e na manutenção dessas famílias, oferecendo oportunidades que eles nunca tiveram”, anima-se a médica rio-pretense.

Mariane ressalta que trabalhar com o olhar voltado ao social sempre esteve no DNA da UMA. “Temos como missão contribuir com as comunidades onde estamos inseridos, por meio de movimentos e ações, como campanhas de prevenção com atendimento gratuito à população. O Setembro Coração, por exemplo, criado por nós, uma campanha de conscientização sobre doenças do coração, deu tão certo que já faz parte do calendário de saúde de Rio Preto.” 

Além do Setembro Coração, a UMA mantém no calendário outras campanhas como o Outubro Rosa, Novembro Azul, Dezembro Institucional e Janeiro Sorria. “A UMA é igual rabo de foguete - só vai pra cima.”

Em outra frente, Mariane coordena o Instituto Unimed, mantido pela Unimed Rio Preto com o objetivo de promover ações sociais com olhar solidário. O Instituto atua por meio de doações do imposto de renda, 6% anuais, que são direcionados a instituições para que projetos sejam colocados em prática.

Sobre o futuro, Mariane conta que sonha em deixar como legado o exemplo de olhar o outro, a importância de se colocar no lugar do próximo, de ter empatia. “É o que passo para meus filhos, minha equipe, nos projetos que participo”. Como empresária, quer consolidar a UMA como referência - não só regional, mas em todo o estado de São Paulo - de empresa humanizada. 

“Quero um voo sólido, traçando uma trajetória que agrega, não só para nós, como empresa, mas para cada paciente que é atendido por nosso complexo. Pois muitas vezes o prognóstico que se tem para passar ao paciente não é bom, e você precisa saber acolher nesse momento de angústia, de algo que vem pela frente. Por isso o olhar humano, na área em que atuamos, de medicina diagnóstica, é essencial.”

Fotos: Elton Rodrigues




Últimas Notícias sobre Saúde

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites

Categorias

As + Lidas

  1. Super Muffato Damha será um investimento de mais de R$ 45 milhões
  2. Postos de combustíveis estão abastecendo apenas com declaração de atividade essencial ou de servidor público
  3. Comércio e serviços poderão abrir seis horas por dia de quarta a sábado apenas
  4. Prefeitura divulga regras para reabertura de restaurantes, salões de beleza e academias
  5. Região do bairro São Francisco lidera o ranking de Rio Preto
Ir ao Topo