Rio Preto





Cresce violência contra médicos em Rio Preto


São José do Rio Preto, 29 de julho de 2021 - Um em cada dois médicos já sofreu agressão em Rio Preto e região. Os dados são de pesquisa realizada pela Associação Paulista de Medicina (APM). Episódios vão de ataques físicos a psicológicos, passando por situações de assédio sexual.

O estudo é primeiro realizado exclusivamente com médicos de Rio Preto, tendo sido motivado pelo aumento das denúncias informais de agressão à regional da APM. Entre 5 e 19 de março de 2021, um levantamento junto aos profissionais por intermédio da plataforma on-line Survey Monkey, teve a participação de 354 médicos, sendo 68% homens e 32% mulheres.

Desse total, 63,28% já assistiram algum colega da saúde sofrer violência, sendo que 44,92 (praticamente um a cada dois) foram vítimas de agressões.  

Os números de Rio Preto se aproximam de outros, alarmantes, de pesquisas estaduais. Em 2018, levantamento do Conselho Regional de Medicina dava conta de que a taxa no estado era de 7 vitimados em cada 10. Os dados da região também se aproximam aos do conjunto da América Latina: 66,70%, em 2015, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde. 

O agravante nos dados é a que a estrutura local para garantir a segurança dos médicos e demais profissionais seria insuficiente. 

“Lamentavelmente, as mazelas no sistema público e da rede suplementar são recorrentes e os pacientes sofrem na pele. São dificuldades para o acesso, demora para atendimento, falta de leitos, de medicamentos, de profissionais, entre outras”, argumenta César Eduardo Fernandes, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB).

“A indignação dos pacientes e familiares é justificável, somos solidários a eles. O problema é que alguns jogam sobre nós a responsabilidade da má-gestão da saúde, nos culpam por falhas estruturais. Isso é um equívoco inadmissível. Uma coisa é defender a cidadania, outra é calar ante a selvageria", conclui.

Denúncia
Frente aos resultados, a Regional da APM de Rio Preto enviou ofícios, anexando a pesquisa, ao prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo, ao secretário municipal de Saúde, Dr. Aldenis Borim, ao Ministério Público e à Delegacia Seccional de Polícia Civil pedindo providências urgentes para garantir a segurança dos profissionais de São José do Rio Preto e região. O mesmo foi feito pela APM Estadual, que acionou os Ministérios da Justiça e da Saúde, o Governo do Estado de São Paulo, as Secretarias de Segurança Pública e Saúde, além da Procuradoria Geral de Justiça.

Foto: APM/Divulgação




Últimas Notícias sobre Rio Preto

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites

Categorias

As + Lidas

  1. Super Muffato Damha será um investimento de mais de R$ 45 milhões
  2. Postos de combustíveis estão abastecendo apenas com declaração de atividade essencial ou de servidor público
  3. Comércio e serviços poderão abrir seis horas por dia de quarta a sábado apenas
  4. Prefeitura divulga regras para reabertura de restaurantes, salões de beleza e academias
  5. Região do bairro São Francisco lidera o ranking de Rio Preto
Ir ao Topo