Economia




Acirp completa 100 anos com a missão de manter sua representatividade enquanto evolui para atender às necessidades do mercado


Na tarde do dia 17 de outubro de 1920, um grupo de comerciantes e fazendeiros batia o martelo para a fundação de uma agremiação que defendesse os interesses do comércio de Rio Preto, ajudasse na promoção do progresso econômico da cidade e apoiasse setores diversos, como indústria e agronegócio. Assim nascia a Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto (Acirp).
A intenção, desde o início, era criar uma entidade de caráter privado cujo papel seria participar, opinar, discutir, decidir e vivenciar todas as etapas do desenvolvimento da cidade. Algo que o atual presidente, Kelvin Kaiser, acredita ter sido conquistado ao longo desses 100 anos completados agora em 2020.

“Presidentes e diretores que passaram pela Acirp ajudaram a construir, ao longo desses 100 anos, a história desta associação respeitada, extremamente representativa e que sempre colaborou com o desenvolvimento da cidade, propondo ideias e grandes ações para Rio Preto. A Acirp esteve presente em praticamente todos os marcos de progresso do município”, afirma Kaiser.

Um dos momentos marcantes que tiveram a participação ativa da Acirp foi a chegada da televisão a Rio Preto. A primeira rede de transmissão foi instalada graças aos esforços do presidente da entidade na época, Waldemar de Oliveira Verdi, em 1959.

“A Acirp, há um século, vem representando o setor produtivo de Rio Preto. Iniciou em 1920, com a união de comerciantes e agricultores. Lutou pela chegada do sinal de televisão. Trabalhou pela instalação da Faculdade de Medicina. Agregou em seu quadro societário novas categorias empresariais, industriais, prestadores de serviços e MEIs. Foi parceira do poder público na revitalização do calçadão. Adotou um Código de Conduta Ética. Ampliou os serviços a associados. Implantou o Serviço de Proteção ao Crédito (SCPC). Criou a Academia Acirp para capacitação dos empresários e seus colaboradores. Em toda sua trajetória, a Acirp é a voz de quem produz”, recorda Mauricio Bellodi, presidente entre 2008 e 2012, fazendo referência ao slogan da entidade.

Hoje, a Acirp representa mais de 4 mil associados do comércio, indústria, serviços e agronegócio e afirma ter sua missão enraizada na prestação de serviços à classe empresarial e na representação junto ao poder público.

Para Adriana Neves, que foi presidente da entidade de 2012 a 2016, a Acirp participa ativamente das lutas pelo desenvolvimento de Rio Preto e, ao apostar no idealismo, dedicação, competência e abnegação, hoje é exemplo de associativismo de resultado.

“Neste um século de existência, o ponto de destaque também é a questão da ética, sempre intransigente na defesa dos valores que garantem transparência, segurança e previsibilidade para que o interesse e a necessidade do associado orientem o planejamento, os projetos, as ações e a gestão da equipe.”

Paulo Sader, que assumiu a presidência da Acirp após Adriana e ficou até 2019, acredita que o legado da entidade foi algo forjado ao longo dos anos, desde sua fundação.

“Esse legado foi crescendo paralelamente ao enfrentamento dos grandes desafios locais, próprios da urbanização, crescimento e complexificação das comunidades humanas. A Acirp construiu ponto de encontro, unidade e perspectiva para a ação empreendedora local, servindo de elo entre o mundo e a comunidade, de engrenagem de transmissão e intercâmbio de experiências e conceitos fundamentais para a sustentabilidade das empresas associadas, que contribuem para a pujança econômica, social e cultural de Rio Preto.”

Um fator determinante para essa longevidade e sucesso, segundo Daniel de Freitas, presidente entre 1984 e 1986, é a renovação do espírito jovem, empreendedor e participativo, atuando diretamente na solução de problemas da comunidade.

“Desde sua fundação, a Acirp representa a voz de quem produz, promoveu e implementou iniciativas de vanguarda à frente do seu tempo, trouxe a pujança que alavancou o progresso dessa vitoriosa terra de oportunidades, buscando soluções e servindo de base para seu desenvolvimento social e econômico. Totalmente apolítica e de maneira harmoniosa, busca o progresso com justiça social e liberdade econômica.”

Renovação realmente é um fator que muitos creditam como essencial nesse processo de consolidação e perpetuação da entidade no mercado local. “Ela sempre se atualiza, e sua respeitabilidade começa com a alternância de poder, gerando uma inovação constante de ideias e sem perpetuação de comando. E exerce grande influência nos problemas da cidade”, acrescenta Antônio Carlos Parise, ex-presidente de 1998 a 2002.

Osvaldo Graciani, que foi presidente entre 2002 e 2006, destaca as pessoas que atuaram à frente da Acirp durante esses 100 anos como fatores determinantes para o sucesso e a representatividade da associação.

“Tivemos excelentes presidentes, que fizeram com que nossa cidade se tornasse uma metrópole e referência em todo o estado de São Paulo e no Brasil. Atualmente, Rio Preto é exemplo no atendimento na saúde, possui um comercio exuberante com cinco shoppings, milhares de indústrias de todos os portes, o que faz com que seja considerada uma das melhores cidades para se viver. E a Acirp está sempre presente neste desenvolvimento. São 100 anos de histórias, trabalho e muita dedicação de suas diretorias.”

Nilton Terruggi, presidente da Acirp entre 1982 e 1984, destaca que os resultados também são fruto do trabalho desenvolvido em conjunto com toda a sociedade. “Na época em que presidi, desenvolvemos um trabalho com foco no desenvolvimento empresarial e humano para Rio Preto, em conjunto com a sociedade, pois compreendíamos que ambos eram indissociáveis.”
Para ele, esse é um dos grandes legados da entidade e um objetivo que permanece até hoje. “Harmonizar os interesses dos empresários com os dos trabalhadores e da cidade, em interdependência, para o aprimoramento do empreendedorismo de Rio Preto.”

Desafio da retomada e planos para o futuro
A celebração pelos 100 anos, além de ser muito diferente do que era esperado, apresenta para a entidade novos desafios. Diante de um ano cheio de dificuldades impostas pela pandemia, o foco teve de ser mudado. A pauta agora é a retomada da economia. Esse é o próximo desafio, garante o atual presidente, Kelvin Kaiser.

“Para isso, estamos investindo mais de R$ 200 mil no fomento do comércio nos períodos de novembro e dezembro de 2020, com atividades culturais e artísticas que fazem parte do nosso projeto ‘Calendário de Atividades Culturais Acirp - #100anos’. Essa é uma realização do Ministério do Turismo, por meio da Secretaria Especial de Cultura e da Acirp, por meio dos recursos da Lei de Incentivo à Cultura Federal. E esses projetos nós vamos continuar a replicar porque é uma forma da entidade captar receita sem mexer no caixa do empresário, e fazer um movimento local, fomentando o comércio, os artistas e fazendo com que o dinheiro circule em nossa cidade.”

Já o trabalho dentro da própria entidade tem foco na modernização. A Acirp está de olho no futuro e se preparando para se tornar 100% digital, o que vai permitir que a entidade se comunique com os associados por todos os canais possíveis. A ideia é trabalhar de forma Omnichannel, ou seja, interligando todas as formas de comunicação e estreitando a relação entre o online e o offline.

Presença na vida política
A Acirp se define como entidade suprapartidária e democrática. Mas ela está sempre próxima do poder público, o que o presidente Kelvin Kaiser define como uma relação saudável com a prefeitura.

“Não fazemos campanha, nem indicamos candidatos. Estamos aqui para ouvi-los e pleitear que nos ouçam também. Somos parceiros do Poder Público – seja qual for o partido – e estamos a todo o momento pleiteando bandeiras que objetivam melhorias nas condições empresariais, além colaborar com projetos que entendemos ser interessantes para o fomento da economia, gerando emprego e renda à população e um ambiente próspero para as atividades produtivas”, explica.

Recentemente, a entidade lançou a nova edição do manual “Bandeiras de Desenvolvimento – Propostas da Acirp para um plano de governo”. O material traz um conjunto de medidas cuja meta é promover um efeito sistêmico positivo na economia, na administração pública e na vida do cidadão.

Segundo Kaiser, esse material foi entregue na época das eleições a todos os candidatos a prefeito de Rio Preto como sugestão para políticas efetivas e concretas dentro da gestão que se inicia em 2021.

Entre as medidas estão a continuidade da revitalização da área central; mais liberdade para empreender; consolidação do Parque Tecnológico; implantação de um centro de convenções; criação de políticas de incentivo para atração e desenvolvimento do setor produtivo; redução da carga tributária municipal, e consolidação da região metropolitana, entre outras. 

O perfil da Acirp
Associação mais antiga do interior do estado de São Paulo
Fundação: 17/10/2020
Número de associados: + de 4 mil
Número de presidentes: 35
Primeiro presidente: Alfredo Pimentel
Presidente com mais tempo de gestão: Waldemar de Oliveira Verdi
Primeira mulher presidente: Iolanda Bassitt
Outros nomes pelos quais já foi chamada: Associação Comercial de Rio Preto e Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Rio Preto
 




Últimas Notícias sobre Economia

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites

Categorias

As + Lidas

  1. Super Muffato Damha será um investimento de mais de R$ 45 milhões
  2. Postos de combustíveis estão abastecendo apenas com declaração de atividade essencial ou de servidor público
  3. Comércio e serviços poderão abrir seis horas por dia de quarta a sábado apenas
  4. Prefeitura divulga regras para reabertura de restaurantes, salões de beleza e academias
  5. Região do bairro São Francisco lidera o ranking de Rio Preto
Ir ao Topo